Selecione seu idioma

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Por quê, "meio-ambiente" é questão de segurança global?

Há mais de dois anos, quando ninguém ainda tinha a coragem de dizer que meio-ambiente é uma questão de segurança global, que venho escrevendo através do meu blog: "Meio-ambiente é uma questão de segurança global."

Todos os serviços de inteligência, governos, instituições públicas e privadas, sociedade organizada, todos devem mobilizar-se na abordagem das consequências climáticas e geológicas em curso, diante dos prenúncios sérios, de desastres ambientais de grandes proporções, que podem afetar de maneira drástica, a sociedade moderna, inteiramente dependente da tecnologia moderna, altamente vulnerável, como ficou evidente no Japão.

Porque pode afetar as usinas nucleares, e aconteceu no Japão, um país bem preparado, imaginem o que acontecerá quando ocorrer um terremoto num país despreparado para terremotos e tsunamis, mas que possua usinas nucleares, e cito como exemplo o Brasil.

O Brasil não tem nenhum preparo para terremotos, mas tem usinas nucleares. Imaginem um terremoto, em Angra dos Reis, com a localização precária da nossa usina nuclear!

Angra dos Reis está no nível do mar, próxima do mar, construída numa região de difícil acesso, sem áreas de evacuação, numa região vulcânica adormecida, numa proximidade temerosa de umas das mais povoadas cidades do Brasil, que é a cidade do "Rio de Janeiro".

A contaminação nuclear ocorre nas correntes de ventos, afetando diretamente os países vizinhos, e espalhando-se por toda a Terra.

Produção de grãos, é outro ponto sensível que pode causar consequências globais.

Usinas de refinaria de petróleo explodindo, ou vazando óleo, é outra questão de segurança global.

Terremotos em áreas de silos de armazenamento de armas nucleares.

Drástica elevação do nível do mar em grandes cidades portuárias do Mundo, outra questão de segurança global.

Desaparecimento de Países e povos situados sobre ilhas, outro problema de segurança global.

Desastres ambientais provocando incontroláveis crises financeiras nos países afetados, com reflexos em seus parceiros econômicos,outra questão de segurança global.

Falta de água potável...

Impossibilidade de comunicação terrestre...

Falta de combustível...

Doenças provenientes de desastres ambientais podem contaminar todo o  Planeta...

Falta de medicamentos, em casos de grandes calamidades públicas, afetam globalmente todas as nações...

As questões sanitárias, de segurança pública, falta de infra-estrutura, como ocorreu no Haiti, não são problemas localizados, mas que causam consequências globais.

Não creio que ainda exista tempo de reverter o quadro, cito o exemplo de duas notícias de hoje, divulgadas pelo Twitter, que demonstram claramente que ultrapassamos o ponto de retorno: 

01 - @AP Waves of earthquakes detected at Iceland's Katla volcano; scientists watching out for eruption:  http://apne.ws/qfoERs –CJ


02 - Pics of Greenland glacier melt shocksexpert  - http://www.physorg.com/news/2011-09-pics-greenland-glacier-shocksexpert.html via @TopicfireNews


Caso ocorra a erupção do vulcão Katla, e desconfio que os cientistas não estejam certos em suas previsões otimistas, o Mundo moderno vai depara-se com uma situação de caos aéreo desconhecida, basta verificar o que aconteceu em 1893, quando não havia dependência global de aviões, estradas, e interdependências econômicas.

A segunda notícia, sobre o acelerado derretimento das geleiras, poderá elevar o nível dos oceanos, com consequências catastróficas nas instalações portuárias, afetando globalmente o transporte de produtos, via marítima.

Sem falar na qualidade do ar que respiramos, contaminação de alimentos, quebra das redes de comunicação, camada de ozônio, ataques terroristas oportunistas da situação, e outras inúmeras possibilidades.

Enfim, o quadro é preocupante, e compromete seriamente a segurança global.

RUI SANTOS DE SOUZA
Brasil, Curitiba, 06 de setembro de 2011 - 22h:08