Selecione seu idioma

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Importantes lições da Tragédia no #Japão.

Não é suficiente ficar lendo, e retransmitindo, diariamente, as notícias sobre os desastres ambientais de grande magnitude, sem que seja feita uma análise e interpretação cuidadosa, dos dados disponíveis.

Mudanças climáticas e geológicas sempre ocorreram na História planeta Terra, a grande diferença entre as mudanças anteriores, e as que ocorrem atualmente, é a grande concentração de pessoas nos desorganizados e superpovoados centros urbanos modernos.

A tragédia no Japão é um exemplo típico, emblemático, que mostra, com crueldade, a diferença principal entre as mudanças climáticas e gológicas anteriores, diante do atual quadro de grandes concentrações urbanas modernas.

Um forte terremoto, seguido de uma devastadora Tsunami, no mês de março deste ano, devastou cidades japonesas, ensinando importantes lições.

- Terremotos sempre ocorreram, mas não combinam com as modernas, mas frágeis Usinas Nucleares.

- A preventiva tecnologia japonesa para enfrentar terremotos mostrou-se ineficiente, diante da magnitude da tragédia.

- Toda a tecnologia japonesa para enfrentar terremotos mostrou-se ineficaz, fraca e incapaz de enfrentar as forças da Mãe Natureza.

- O Tsunami ocorrido após o terremoto, invadiu grandes aglomerações urbanas, indefesas, desavisadas e desprotegidas, construidas na faixa litorânea.

Grandes terremotos, devastadoras Tsunamis, erupções de poderosos vulcões, transbordamento dos leitos dos grandes rios, violentos furacões e tornados, deslizamento de encostas, sempe foram fenômenos naturais, mas nunca com a frequência e intensidade das trágicas ocorrênciais atuais, demonstrando claramente que as mudanças climáticas e geológicas em curso, neste momento, são incompatíveis as grandes e inseguras concentrações urbanas.

- O passado gológico do Planeta Terra, e de todos os outros conhecidos na Via Láctea, demosntram que as mudanças climáticas e geológicas estão diretamente relacionadas, provocam significativas transformações geográficas e climáticas, mas no mundo moderno, tais mudanças afetam economias, mercados de trabalho, produção de alimentos, destruição de estradas e viadutos urbanos, afetam a distribuição da energia elétrica, o trânsito, os hospitais, as viagens aéreas, a segurança das usinas nucleares, provocando o caos urbano e a desordem social, sem precisar falar das doenças, epidemias em consequência do lixo e entulho orgânico.

- O desastre ambiental no Japão provocou prejuízos, perdas materiais e humanas, incálculaveis.

- O Japão, paraíso moderno da nova tecnologia, foi incapaz de enfrentar a força da Mãe Natureza com sucesso, quais serão as consequências em outras cidades menos preparadas?

O noticiário de hoje fala das consequências dos Tornados nos Estados Unidos da América, e de uma tempestade de areia no Irã.

Recentemente verificou-se uma forte onda de nevascas nos Estados Unidos da América, provocando inúmeros transtornos econômicos e sociais.

Um recente deslizamento de encostas de terras no Brasil, provocou um inúmero expressivo de mortes e destruição nas cidades atingidas.

As consequências do terremoto no Haiti ainda estão sendo contabilizadas, sem previsão de reconstrução daquele País.

O tráfego aéreo na Europa entrou em colapso no início do ano de 2010, em consequência da erupção do vulcão na Islândia.

- Existe uma combinação mortal, terrível e assustadora nas atuais mudanças climáticas e gológicas:

- Velocidade em que estão acontecendo.

- Desconhecimento atual da complexa malha de causas e efeitos, num efeito do jogo de dominó, que a queda da primeira peça, que derruba as peças seguintes.

- Consequências imprevisíveis diante da dependência da tecnologia moderna, que estamos submetidos.

Nas mudanças climáticas e geológicas anteriores, não havia dependência de energia elétrica ou nuclear, não existiam trânsitos congestinados, elevadores, centros cirúrgicos, centrais de computadores que direcionam e organizam todas as atividades humanas.

A civilização moderna depende do petróleo para movimentar os veículos e máquinas, que movimentam as economias, da qual todos dependem, e não sobreviveriam por muito tempo sem tais recursos e tecnologias.

O alimento que consumimos não vem da plantação do fundo do quintal da residência, a água para beber não vem do poço do quintal da casa que residimos, as doenças que enfrentamos não são controladas com as ervas naturais, nossos meios de transportes e comunicações depende inteiramente de todo um aparato tecnológico altamente vunerável e frágil, incapaz de resistir radicais mudanças climáticas e geológicas significativas.

A movimentação tectônica no Japão continua com uma frequência e intensidade assustadora, fazendo prever novos terremotos de maior intensidade, no Japão onde o solo transforma-se em água, mas afetando outras regiões do planeta Terra.

É evidente que a intensidade e a frequência dos terremotos que estão acontecendo no Japão, diariamente, desde o mês de março, estão afetando e causando consequências em todo o Planeta Terra, provocando consequências ainda desconhecidas e imprevisíveis em toda a movimentação tectônica da Terra, afetando vulcões, afetando o clima, as correntes oceânicas, mudando o Eixo-da-Terra.

A insensatez humana ficou revelada na ineficiência e incapacidade governamental e da comunidade científica no Japão, que sempre foi considerado um país de avançada tecnologia.

É fácil imaginar o que acontecerá, em breve, em países menos organizados e inteiramente despreparados para enfrentar tais eventos, bastando o exemplo das trágicas consequências do terremoto no Haiti.

Em breve, muito breve, outros terremotos de grande magnitude acontecerão em diferentes regiões do planeta Terra, em consequência das mudanças geológicas em curso no Japão, mais tornados, outros furacões, novos vulcões entrarão em erupção, catastróficas inundações semelhantes às que ocorreram no Paquistão.

A indiferença permanece a mesma, a ignorância é maior, resta esperar mais desatres para aprender as lições?

Human impacts of rising oceans

Equation of global warming - part 02 -

and changes: Signs not decode...

Global Alert: The environment is global security!



RUI SANTOS DE SOUZA
Brasil, Curitiba, 02 de junho de 2011 - 20h:27