Selecione seu idioma

domingo, 7 de maio de 2017

Brasil: considerando que a Nação foi invadida e dominada por canalhas, que a destroçaram e que corre grave perigo de desintegração total...

Google Image
Google Image

Brasil: considerando que a Nação foi invadida e dominada por canalhas que a destroçaram, e que corre graves perigos e ameaças de irreversível desintegração total...

Considerando que não haverá outra solução institucionalmente possível, devido a promiscuidade e cumplicidade das relações do STF com o Poder Executivo, e vive-versa;

Considerando que o Legislativo está mortalmente ferido, sem credibilidade, sem nenhuma legitimidade, completamente leniente, por laços criminosos, ativa e passivamente, cúmplice com quadrilhas do crime organizado, composta de ladrões do dinheiro público...

Considerando que o Executivo está totalmente refém, e protagoniza de forma criminosa o aniquilamento do País, nomeando para preencher cargos públicos notórios ladrões investigados pelo MPF e PF, e muito cinicamente, somente finge que existe, transformando os cargos e interesses públicos em mercadoria de troca..

Considerando que as reformas verdadeiramente urgentes e necessárias para salvar o Brasil foram cínica e debochadamente ignoradas, ou seja, diminuição dos cargos públicos, economia administrativa, eficiência e expurgo sumário de todos os envolvidos em denúncias de corrupção, transparência, ética e seriedade no trato da coisa pública...

Considerando que as únicas instituições ainda restantes com credibilidade minimas necessárias diante da opinião pública, e que ainda desfrutam de um mínimo de credibilidade para salvar a Nação são: a grande maioria da opinião pública, alguns Juízes Federais, Operação LavaJAto, o MPF, a PF e as FFAA...

Considerando que a Nação foi atacada, dominada e ferida de morte, somente existe uma única ação possível, imprescindível, inalienável e patriótica:  Ruptura Institucional!!!

O Dever, a Honra e a Pátria exigem: 

"A p r e s e n ta r A r m a s  ! ! !

"Brasil Acima de Tudo!

Dia da Terra
Brasil, Curitiba, 07 de maio de 2017.

Google Image