Selecione seu idioma

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Carta aberta aos Professores e Professoras do Estado do Paraná...

Google Image


Vocês hoje fizeram  a  História  do  Brasil...

Devolveram meu  orgulho de ser Paranaense de coração...

Olhando  e ouvindo  vocês,  voltei a  ter  orgulho de   ser  brasileiro.

Vocês provaram, demonstraram  ao  Brasileiro, a importância  do "saber",  do  senso crítico,  do   saber pensar,  agir e reagir  diante da   tirania e da opressão criminosa de um  "Estado-Bandido".

Vocês  não  gastam suas horas  com  Pão e Circo,  mas aprendendo a   pensar,  através  de um acurado  senso  crítico, forjado nas lições  que   só o  "conhecimento"   possibilita.

Enfrentaram  bombas de gás de pimenta,  policiais armados,  gritaram  corajosamente contra os  administradores   corruptos, ineficientes e negligentes.

Deixaram  as  silenciosas bibliotecas, e a   solidão  dos livros,   e  foram  às ruas   de   Curitiba, pincelar,  com cores vibrantes,  o  nosso futuro.

Abandonaram a  timidez  das   salas  de   aulas, e o  tom de voz  macio  e  educado  de aulas maçantes,   para ir ao campo de batalha,  rugir    cantos  de guerra contra a triste   realidade  que  está destruindo nossa  nação, nosso povo,  nosso presente e futuro.

Senti  vergonha de não  estar  lá, ombro-a-ombro com vocês.

Mas  vocês  demonstraram  hoje, à  todo o Brasil,  e  ao  mundo, o  caminho  para mudarmos o  Brasil.

Sem  desmerecer  as   demais  categorias de  atividades  profissionais, vocês,  professores, desfrutam e   representam  a mais  dignificante,   respeitada  e autorizada,   para  enfrentar  e liderar uma batalha  nacional   contra a mais desmoralizada  e indigna  de todas  no  Brasil: a de político.

Sinto   vergonha, nojo e revolta, contra  governantes e homens públicos que dão tratamento criminoso aos seus professores.

Que  a nossa  polícia  seja  usada para  garantir a segurança  publica, em benefício do cidadão,  e não  contra   professores em sua legítima luta por   direitos inalienáveis.

E   nenhum prédio  ou   edifício  público, construído  e mantido  com  o  dinheiro  do  contribuinte,   é mais  importante e sagrado do  que o mais Constitucional  de   todos os  "Direitos": que   ao  "Povo"  pertence,  é dono e detentor de todo o  "Poder", e  que,  no   exercício  de   seu  Constitucionalíssimo   "Direito de Resistência",   pode  até destruir, caso seja necessário.

Prédios  Públicos pertencem  ao Povo,  que   paga as contas.

E os  Princípios Constitucionais ensinam que não existem  "autoridades públicas",  todos, do  Presidente,  Ministros,  Senadores, Governadores, Deputados,  Juízes, ao  Secretário Municipal, Agente de Saúde,   Coletor de Lixo ou  "Coveiro"  do cemitério da esquina,  todos, sem  exceção, são  sim: SERVIDORES PÚBLICOS, subordinados à autoridade maior,   que é  o "Cidadão",  Verdadeiro  detentor de "todo" o  "Poder"  outorgado constitucionalmente.

Dia da Terra

Brasil,  Curitiba, 12 de   fevereiro de 2015.