Selecione seu idioma

sábado, 24 de janeiro de 2015

Fotógrafa captura a pobreza dos que vivem com US$ 1 por dia

BBC
24/01/2015 09h17 - Atualizado em 24/01/2015 09h17

Fotógrafa captura a pobreza dos que vivem com US$ 1 por dia

Renée Byer viajou por dez países e encontrou situações de miséria extrema e abandono.

Da BBC
Byer encontrou Hunupa Begum, 13 anos, pedindo esmolas em Nova Déli e pediu para a menina contar sua história. Hunupa é cega desde os três anos. O irmão, Hajimudin Sheikh, de seis anos, e a mãe, Manora Begum, de 35, também sofrem com problemas graves de saúde. No entando, a família é feliz por estarem todos juntos (Foto: Renée C Byer)Byer encontrou Hunupa Begum, 13 anos, pedindo esmolas em Nova Déli e pediu para a menina contar sua história. Hunupa é cega desde os três anos. O irmão, Hajimudin Sheikh, de seis anos, e a mãe, Manora Begum, de 35, também sofrem com problemas graves de saúde. No entando, a família é feliz por estarem todos juntos (Foto: Renée C Byer)
A fotógrafa Renée C Byer, ganhadora do prêmio Pulitzer, viajou para dez países em quatro continentes para documentar o cotidiano de pessoas que sobrevivem com apenas US$ 1 por dia.Veja a galeria completa.
Byer foi para países como Bangladesh, Bolívia, Camboja, Gana, Índia, Libéria, Moldáva, Peru, Romênia and Tailândia.
Em suas fotos, Byer retratou crianças doentes, catando metais em lixões, famílias inteiras sobrevivendo com esmolas, outras famílias cujos chefes eram crianças ou deficientes, ameaças de despejo de imóveis precários, sem água, aquecimento ou energia elétrica.
Um livro sobre o projeto Living On A Dollar A Day ("Vivendo com Um Dólar Por Dia", em tradução livre) foi publicado pela The Quantuck Lane Press.
Byer fotografou Sangeeta pela primeira vez quando ela tinha dois anos e pesava apenas quatro quilos. Segundo a fotógrafa, a mãe, que vive na favela Charan, em Dharamsala, Índia, fez a filha passar fome para conseguir mais dinheiro com esmolas e alimentar o resto da família. Desde que a foto foi feita, Sangeeta recebeu ajuda em uma clínica médica móvel mantida por uma instituição de caridade, a Tong-Len Charitable Trust, e está melhorando. (Foto: Renée C. Byer)Byer fotografou Sangeeta pela primeira vez quando ela tinha dois anos e pesava apenas quatro quilos. Segundo a fotógrafa, a mãe, que vive na favela Charan, em Dharamsala, Índia, fez a filha passar fome para conseguir mais dinheiro com esmolas e alimentar o resto da família. Desde que a foto foi feita, Sangeeta recebeu ajuda em uma clínica médica móvel mantida por uma instituição de caridade, a Tong-Len Charitable Trust, e está melhorando. (Foto: Renée C. Byer)
'Depois da morte de seu pai, Alvaro Kalancha Quispe, de nove anos, ajuda na sobrevivência da família cuidando de lhamas na cadeia de montanhas Akamani, em uma área chamada Caluyo, na Bolívia. Moradores da área vivem em casas sem isolamento térmico, sem eletricidade e sem camas. A água vem da neve das montanhas. A sobrevivência, de seus animais. Cada um deles produz cerca de 3 libras (1,4 quilo) de lã por ano e cada libra é vendida 18 bolivianos, aproximadamente US$ 2,60' (Foto: Renée C. Byer)'Depois da morte de seu pai, Alvaro Kalancha Quispe, de nove anos, ajuda na sobrevivência da família cuidando de lhamas na cadeia de montanhas Akamani, em uma área chamada Caluyo, na Bolívia. Moradores da área vivem em casas sem isolamento térmico, sem eletricidade e sem camas. A água vem da neve das montanhas. A sobrevivência, de seus animais. Cada um deles produz cerca de 3 libras (1,4 quilo) de lã por ano e cada libra é vendida 18 bolivianos, aproximadamente US$ 2,60' (Foto: Renée C. Byer)